8 de fev de 2012

Amy Jo em entrevista a Bamboo Magazine:


Amy Jo Johnson, a Jules, deu uma entrevista a revista Bamboo, publicação especializada em estilos de vivência familiar. Ela falou sobre sua filha, sobre a gravidez e como foi a experiência de ser tornar mãe.

"Amy Jo Johnson na Maternidade e Criatividade"

Na infância, a atriz Amy Jo Johnson decidiu que queria ser artista. Ela é realmente criativa; nenhuma faceta da sua vida é deixada intocada pela sua arte.

Enquanto ela está estrelando papéis na televisão (Flashpoint, The Division, Felicity) e filmes (Without Limits, Interstate 60), tocando e gravando músicas (ela canta e toca violão) ou pintando, Amy Jo parece tecer os seus instintos de criatividade e família com graça.

Uma pessoa muito reservada, Amy Jo é dedicada à sua família e nutre sua vida interior. Em 2008 ela deu à luz sua filha, Francesca. Tirando um tempo do trabalho para o nascimento e as obrigações com seu bebê, Amy Jo descobriu que sua nova vida famíliar tinha tomado o lugar de sua arte. Com menos esforço e mais abraço, ela está conseguindo equilibrar seus sonhos artísticos e aspirações com sua criação mais importante, sua família.

Na gravidez:

"Eu estava esperando a minha vida inteira pelo dia em que eu descobri que estava grávida. Realmente foi um sonho de uma vida que finalmente se tornou realidade aos 37 anos! Eu só tinha conhecido (o pai do bebê) há mais ou menos quatro meses! Então, eu estava um pouco nervosa pela aventura que nós dois estávamos embarcando juntos como estranhos.

Mas a minha fé na vida é tão grande quanto a montanha mais alta e eu sabia que não importava o que acontecesse, eu estava no lugar certo, fazendo a coisa certa. No mínimo, tem sido uma jornada. Acho que não só ter um bebê, mas estar em um relacionamento comprometido com alguem, é como segurar um espelho gigante para você ver todas as suas coisas bonitas e feias, das quais eu sou 100% grata. Compromisso com o crescimento pessoal é tudo que eu tenho sido e nossa, estou crescendo."

Na maternidade e bem estar:

"Acho que o maior desafio que eu encontro como uma mãe é ter certeza que eu estou fazendo o suficiente, e não o demais. É um equilíbrio, que eu lido constantemente verificando com meus instintos. No fundo sabemos o que é melhor para nossas crianças. Então, no fundo eu tento navegar o meu caminho nas escolhas que eu preciso fazer como mãe. O que mais me surpreende é a capacidade de Francesca em ajudar, me orientando na direção certa. Além disso, eu acredito bastante em ouvir o seu corpo.

Tenho notado que se eu deixar Francesca fazer escolhas sobre sua comida e sobre o que ela deseja, normalmente é exatamente o que o seu corpo precisa. Eu tento manter lanches orgânicos em casa se o que ela está querendo são docinhos divertidos e acolhedores. Além disso, estamos morando em uma cidade maravilhosa com muitos parques e calçadões à beira mar, assim nós gastamos muito de nosso tempo fora de casa. Mesmo no inverno."

Na criatividade e trabalho:

"Uma coisa é certa, eu tenho percebido nos últimos três anos de maternidade, que você não pode criar inteiramente enquanto educa. Os primeiros 2 anos de Francesca foram um verdadeiro chamado de despertar para mim. Eu tinha sido focada em mim mesma e em minha criatividade por mais da metade da minha vida - ok, vamos enfrentar isso, toda a minha vida - e de repente eu tinha essa pequena pessoa na minha frente que precisava de mim tanto quanto eu sempre precisei de mim mesma. Então, deixei acontecer.

Eu estive esperando tanto tempo para ser mãe que eu somente respirei fundo e me soltei. Mesmo enquanto eu trabalhava em um programa de TV, eu estava completamente focada em ser mãe. Desnecessário dizer, mas eu tive "shingles" (um tipo de herpes) nos cinco meses de amamentação e trabalhando 12 horas por dia! Mas às vezes na vida temos que fazer o que tem que ser feito. Agora Francesca tem 3 anos e começou a pré-escola!

E eu também estou grata pelo hiato da série de TV. Então, eu passei os últimos três meses escrevendo, cantando e criando das 9 horas da manhã as 11:30 de segunda a sexta-feira. E tenho que dizer que é tão lindo dizer novamente "Olá" para aquelas coisas que me dirigem e me fazem eu."

Na família:

"Quando eu era uma garotinha, eu passei por um pouco de depressão, eu tinha por volta dos 12 anos de idade.

Eu estava oprimida pelo medo da morte. Minha mãe, que já faleceu, me curou deste tempo difícil e assustador. Ela me ensinou a ser grata. Ela me ensinou a escrever todas as coisas pelas quais eu sou grata, especialmente quando eu estou me sentindo para baixo. Eu trouxe este ritual para a nossa família.

Todas as noites antes de dormir, meu marido, Francesca e eu, passamos todas as coisas pelas quais somos agradecidos, revezando-se. Ela adora tanto isso que agora começa o dia me perguntando sobre o que eu estou grata."

Confiram mais fotos da Amy na revista acessando o Fan Clube da Amy Jo Johnson no Brasil:

http://amyjobrasil.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com spams, propagandas, correntes, assuntos fora do contexto da matéria ou do Fansite e conteúdos ofensivos, serão excluídos, assim também como comentários anônimos.