30 de dez de 2011

Amy Jo Johnson em entrevista ao "13th Street"


Com a quarta temporada de Flashpoint sendo toda exibida no Canadá é hora de essa temporada estreiar nos outros países que exibem a série. O australiano "13th Street Universal" publicou essa semana, uma entrevista com uma das estrelas da série, Amy Jo Johnson, para promover a estreia da quarta temporada no canal:

Confiram a tradução:



FLASHPOINT:

Perguntas e respostas com Amy Jo Johnson:





"De seu primeiro papel de destaque como Kimberly Hart, a Ranger Rosa em Mighty Morphin Power Rangers, aos papéis aclamados pela crítica em Felicity e outros, Amy Jo Johnson encontrou sua casa como Jules Callaghan na série canadense, Flashpoint. A série de televisão sobre uma equipe tática especial que resgata reféns, prende gangues, desarma bombas e leva outros casos difíceis, continua em 2012 com a quarta temporada. Amy Jo Johnson conversou com "13th Street" sobre a série e a vida por trás das cenas do drama policial explosivo".

Descreva a série para alguém que nunca tenha visto Flashpoint:

AJJ: É uma série policial que vem a partir da perspectiva de um policial. Flashpoint realmente mostra a humanidade pela qual os oficiais têm que passar, lidando com seu trabalho. Nós não somos apenas policiais ou atiradores. A série realmente vai dentro da experiência humana das pessoas com o uniforme.

O que os telespectadores podem esperar da quarta temporada?

AJJ: No início da terceira temporada parecia que estávamos ficando sem histórias. Quero dizer, existem apenas bastante histórias de refém que você pode fazer. Assim, os escritores e produtores realmente tiveram que se colocar em um grupo de reflexão e trabalhar extra e pesado para a a quarta temporada e para mim essa temporada, como atriz e pessoalmente, tem sido a melhor já escrita e as melhores histórias até o momento. Quando você tem que pensar de maneira diferente, fica melhor. Estou muito orgulhosa do que temos filmado e espero que o público veja isso também.

FLASHPOINT é a série mais longa em que você já ficou desde o início. Porque você acha que ela é? Você ainda está gostando de trabalhar na série?

AJJ: Tem sido uma verdadeira revolução, ela mostra como isso tem sido para mim. O primeiro ano eu estava grávida e encontrei de muitas formas uma nova vida, morando no Canadá... O segundo ano eu tive meu bebê e me senti mais forte por causa disso. O terceiro ano eu meio que me estabeleci um pouco e no ano passado foi realmente incrível, alegre e divertido, então estou realmente ansiosa para a quinta temporada.

O final da terceira temporada de Flashpoint configurou algumas histórias interessantes para a quarta temporada - essas histórias foram trabalhadas?

AJJ: Elas realmente foram, e elas são histórias que correm ao longo da temporada inteira. A maioria das emissoras gostaria de ter uma série policial contida dentro de um episódio para os espectadores que não a acompanham. Mas os fãs querem ver os personagens até o fim. Como ator você quer ter um enredo. Na quarta temporada, eles entraram com mais de histórias de fundo em nossos personagens que, como ator, torna o trabalho mais interessante também. Mas, sim eles realmente trabalham com os suspenses que foram apresentados no final da temporada 3.

O que te atraiu para Flashpoint?

AJJ: Eu não estava no piloto original, mas quando cheguei e entrei, eles me mostraram o original e eu fiquei agradavelmente surpreendida e orgulhosa do trabalho que eu tinha conseguido, porque era tão bem escrito e teve muito coração e muita humanidade nele. Eu sinto que cada episódio é assim. É um dos melhores empregos que já tive. Não só pelo lado criativo, mas pelo lado pessoal, as pessoas com quem eu estou trabalhando se tornaram uma família para mim. Eu sinto que eu estou trabalhando com pessoas muito, muito especiais. Isso só acontece em um número de vezes em sua vida. Este é um daqueles momentos em que eu tenho que saborear o momento, porque eu me sinto muito especial.

Agora, é verdade que você se mudou para Toronto por causa da série?

AJJ: Foi o impulso. Quando a primeira temporada acabou eu pensei em ficar, porque me apaixonei pela cidade e eu tive uma menina e eu acho que é um lugar fantástico para ela. Eu era uma espécie de cigana antes. Eu estava morando em Montreal e não sabia para onde ir depois. Eu acho que eu encontrei minha casa em Toronto.

Você é uma única "não-canadense" que trabalha em tempo integral na série...

AJJ: Eu me mudei para Montreal dois anos antes da audição para a série, foi apenas um tipo de mudança na minha vida. Eu estava morando em Los Angeles por 15 anos antes disso. E então eu me tornei uma cigana. Eu dirigi pelas fronteiras do país e fiz um filme de uma semana em Montreal e eu estava tipo "oh, eu gosto daqui". Eu já tinha começado o processo de passar pelas coisas da imigração somente para me tornar uma residente permanente por mim mesma. Isso ajudou a solidificar a minha situação.

Então você chama a si mesma de canadense agora?

AJJ: Ah e eu sou. Meu marido é, minha filha é. Isso é engraçado... Quando eu deixei Los Angeles e peguei estrada para descobrir quem eu era, todos os meus amigos estavam dizendo "quem deixa Los Angeles e consegue uma série em outro lugar?" (Risos). Quem faz isso? É apenas um tipo de acontecimento. Na época, eu decidi que queria parar de atuar... Estava satisfeita com isso e eu fui embora. Então eu venho para o Canadá e consigo um papel realmente grande.

O papel de uma vida?

AJJ: Sim, é como isso foi (Risos).

Agora vamos falar sobre alguns de seus co-estrelas de Flashpoint. Em vinte cinco palavras ou menos o que você pode-me dizer sobre... Hugh Dillon, que faz o papel de Ed Lane:

AJJ: Ele tem muito coração e ele é um dos meus melhores amigos no mundo. Ele é hilário, uma das pessoas mais engraçadas que eu já conheci.

Enrico Colantoni, que faz o Sargento Greg Parker:

AJJ: A pessoa mais profunda que eu já conheci. Ele é um professor tão grande e é uma bênção estar com ele. Ele é também um dos homens mais doces que eu já conheci.

Michael Cram, que faz o Kevin Wordsworth:

AJJ: Na verdade, estamos fazendo um show juntos. Eu vou tocar violão, ele vai tocar guitarra e cantar. Ele é hilário. Muito neurótico, mas incrivelmente hilário.

David Paetkau, que interpreta Sam Braddock:

AJJ: David se tornou como um irmão para mim. Eu me tornei uma grande amiga de sua esposa, e nossas famílias são grandes amigas. Ele é um vizinho, ele mora apenas dois quarteirões de distância.

Falando sobre David, o final da terceira temporada deu dicas que a relacionamento entre seus dois personagens poderá esquentar de novo. Existe mais vindo na quarta temporada?

AJJ: Eu não quero contar muito sobre o que acontece... Mas a quarta temporada definitivamente dá conta do nosso relacionamento amoroso.

Você gosta de interpretar as cenas românticas?

AJJ: Oh, com certeza, quando você está sempre correndo por aí com armas gritando "Pare, Polícia!" é sempre refrescante pegar um script onde você começa a ter contato com alguém, a ser humano e conversar. É sempre bom como ator. Gostei muito desse enredo.

Depois de interpretar uma policial na TV, você se sentiria confortável fazendo a prisão de cidadãos na vida real?

AJJ: Sem chance, eu definitivamente não. (Risos) Mas David (que interpreta o par romântico e companheiro de Amy na série, Sam) quase fez isso cerca de um ano atrás. Eu juro. Ele saiu de seu apartamento e viu uma velhinha ficando assaltada. E gritou "Pare Polícia" e perseguiu o cara na rua. Acho que ele deixou cair a bolsa, e foi correndo, mas ele se esqueceu completamente quem ele era e ele estava no personagem. Eu não sei se isso iria acontecer comigo.

Você tem tido uma seqüência incrível de trabalhos como atriz, mas é interessante olhar o seu site oficial que fala apenas sobre sua música e arte. Não existe nenhuma menção de sua atuação nele. Por que isso?

AJJ: Eu sei, porque eu tenho essa coisa onde na Internet, eu não quero que ninguém realmente me conheça. Eu me sinto uma pessoa muito privada, então eu coloquei minha música lá. É como um tipo de diário. Eu acho que a atuação vai cuidar dela mesma, da maneira que ela quiser. Eu não me sinto como promovendo a mim mesma como atriz, porque esse é o meu sustento. É uma sensação estranha, mas é como "Aqui está a minha música, essa sou eu".

Sendo uma pessoa privada, é estranho compartilhar parte de si mesma ao mundo através de sua música?

AJJ: Realmente, e você sabe que eu escrevi um romance alguns anos atrás, que era tão pessoal que eu nunca decidi publicá-lo. E então eu estou escrevendo um roteiro agora que eu realmente quero dirigir e é tão pessoal. Eu estou compreendendo que atuar é tão seguro que tudo que você tem que fazer, é ir conseguir um trabalho e eu posso me esconder atrás das palavras de alguém. Quando se trata de minha própria arte e criatividade e do que eu realmente quero mostrar, eu não posso fazer qualquer coisa. Eu sou uma criatura honesta, eu não sei o que o futuro trará com isso. Eu não sei o quanto eu posso dar. Se eu estou indo criar alguma coisa, isso realmente iria ser somente "eu".

Finalmente, alguma pista sobre o que teremos na quinta temporada?

AJJ: Eu gostaria de saber... Eu não tenho idéia. Espero que eu esteja lá, nunca se sabe!

O canal 13th Street Universal exibe Flashpoint todas as terças às 8:30 pm.

Comentários de "Slow Burn" (season finale)


Depois de um super episódio que foi "Priority Of Life", ficamos com a tão esperada season finale.

*CONTÉM SPOILERS*

“Slow Burn” veio da forma que comentamos aqui, uma “continuação” de “Priority Of Life”, Greg decidindo ficar na equipe e Jules e Sam livres pra manter um relacionamento feliz dentro do time.

Muitos pontos a se comentar, começando por Simon. A história dos bombeiros foi muito bem colocada em plano, e por sinal pela primeira vez a série faz uma homenagem a esses heróis, tão importantes quanto os policiais. E Simon um grande capitão dos bombeiros, vê seu amigo sofrendo, todo o incêndio acontecendo e as mortes deixam ele a ponto de enlouquecer e tenta se matar e levar o culpado junto. Greg desistindo no meio do caminho me fez gelar, e a conversa dele com o Ed então? Nossa...um dos tops do episódio, nunca pensei que viria uma cena dessa forma entre os dois, bem vibrante e emocionante.

E pros fãs de Jules e Sam, a conversa deles no início deve ter deixando o povo preocupado não é? Sam recebe uma proposta de seu pai pra ir trabalhar em outro lugar, e ele aceitaria se não tivesse outra alternativa...mas teve! No meio do piquenique em família o casal é liberado pelo poderoso chefão da SRU a ficarem juntos, felizes e contentes. E com isso fecha-se o ciclo “Sam & Jules , fica ou não fica”. Adoro o casal sim, mas a única desvantagem é : eles nunca recebem histórias que não estejam focadas neles. Essa temporada por exemplo os episódios da Jules e do Sam eram sempre ligados um ao outro, não teve um tipo de história diferente, com a família da Jules por exemplo, ou com o pai do Sam. Espero que agora com eles juntos, as histórias para os dois comecem a ganhar assuntos diferentes.

E por falar em piquenique, foi linda a cena de todo mundo junto na praia. Greg falando pra cada membro, me arrepiei. Legal ver o Wordy de novo e teve Donna também. Uma ótima maneira de terminar uma temporada. A Família Team One unida. E pra terminar : “Let’s keep the peace”.

E que venha a quinta temporada.

24 de dez de 2011

Feliz Natal!


Desejamos a todos os fãs de Flashpoint um Natal super "Flashtástico"! Muita saúde e paz pra todos! "Let's keep the peace!"

13 de dez de 2011

Flashpoint fecha a 4° temporada hoje a noite!


Pois é pessoal depois de 18 episódios, altos e baixos, problemas e alegrias, altas emoções, Flashpoint encerra mais uma temporada. O episódio "Slow Burn" vai ao ar pela emissora CTV às 8 da noite.


Como fizemos com "Priority Of Life", faremos uma postagem especial também, não só porque é a finale, mas será um episódio, tenho certeza muito especial.

*CONTÉM SPOILERS*

Acho que depois de ler algumas informações sobre o episódio, posso dizer que ele será uma "continuação" de Priority Of Life. Por que, vocês me perguntam? Sim, Greg terá que decidir se fica ou não no time (situação que começou em POL) Saberemos se Jules e Sam foram liberados ou não pelo chefe pra ficar no mesmo time (situação que começou em POL tembém) . Então galera, vai segurando a emoção que teremos além de tudo muito fogo, explosão, bombeiros e um piquenique na praia. Donna e Wordy voltam pra uma participação e pelo visto muito chororô de Enrico Colantoni.

David Paetkau comentou sobre a finale no site da CTV, podem conferir no link aqui.

Seguem as sinopses e resumos de sites :

• "A Equipe UM recebe um telefonema para se encontrar com o capitão de incêndio que interrompeu a tentativa de assassinato de um bombeiro gravemente queimado.E as coisas continuam a aquecer enquanto a equipe descobre o incendiário em potencial por trás dos incêndios mortais. vingança e suicídio em potencial jogado na mistura e durante todo o tempo, o sargento Greg Parker é questionadosobreo seu futuro como líder da equipe."

"Agora, enquanto espera pela decisão de Parker, e também para ouvir se Sam (David Paetkau) e Jules (Amy Jo Johnson) serão colocados em equipes separadas por causa de seu relacionamento juntos, a Equipe UM enfrenta uma situação explosiva que empurra Parker ao seu ponto de ruptura emocional."

"Durante a finale da 4° temporada, a Equipe Um corre para um hospital quando o capitão dos bombeiros, Simon Griggs (Ator Convidado Dylan Neal, Blood Ties) interrompe uma tentativa deassassinato de um bombeiro gravemente queimado. Quando eles pressionam o supeito, a equipe descobre que ele está por trás de uma série de incendios mortais no bairro. Enquanto isso, o capitão Simon Griggs é forcado a fazer uma escolha terrível- Que o empurra para a beira devingança e do suicídio. Parker (Enrico Colantoni), lutando com sua própria decisão sobre seu futuro na equipe, precisa convencer esse homem a viver."

Agora é so esperar. Falta Pouco.

12 de dez de 2011

Comantários "Priority Of Life"


"Priority Of Life"
foi o 17° episódio da 4° temporada.


O que dizer de Priority Of Life?? Foi intenso, triste, angustiante, assustador e emocionante Fazia tempo que faltava um episódio assim, com todas essas caracteristicas ao mesmo tempo.

Intenso por toda pressão que Greg tomou de Toth. "Assine aqui e entregue o distintivo e a arma" . Que situação, mesmo ele tentando se culpar pelo relacionamento de Jules e Sam (o que foi o justo) Toth não aliviou e teve que assitir de camarote a missão do dia.

Triste, angustiante e assustador porque a idéia de ver Jules caída, sofrendo de dor não foi a das melhores. Triste ver a carinha da Jules em desespero pedindo com o olhar pra que alguém tirasse ela de lá e quando Sam entra no laborátório, ele faz a outra opção. E a cara do Greg e do Toth? Épico. Sam realmente e cumpriu o código de prioridade, provando mais uma vez o quanto ele é profissional. Mas que deve ter sido difícil, ah isso foi. Mas sinceramente Jules deve ter ficado orgulhosa dele, como ela ama o que faz, acredito que ela teria feito o mesmo.

Não posso deixar de comentar a conversa de Jules e Greg. Linda cena mais uma vez entre "pai e filha". Greg disse pela segunda vez o quanto ele tem orgulho da Jules e dessa vez com os olhos marejados. E no final Jules chorando tenta negociar com Xavier, contando toda a verdade sobre a vacina. Arrepios. O tempo correndo. O nível de particulas aumentando. Xavier libera Jules e o outro médico, mas nada mais resta pra ele, só esperar por Raf que consegue ligar a ventilação.

Mas o que mais chamou a atenção foi a cena entre Jules e Sam quando ela já estava sendo tratada pelos paramédicos. Sam tira o comunicador e diz pra Jules que a ama. Não foi lindo? Sim, foi.

Faltava agora Toth. Ai Toth...Pois é o psícologo que separa times, foi colocado contra a parede pelo Ed que acabou cedendo. Deu a Greg uma semana para decidir seu futuro na Equipe UM e liberou Sam e Jules ficarem no mesmo time por enquanto...pois ele recomendaria ao chefe que não separassem os dois.

Bom, meus aplausos vão pra nada mais nada menos que Amy Jo Johnson pela brilhante atuação no episódio. Atuação digna de indicação ao Gemini Awards.

Agora é só esperar pra uma season finale emocionante. Será que Greg vai desistir? Será que Jules e Sam vao ficar no mesmo time? Vamos aguardar.

6 de dez de 2011

Novo episódio : "Priority Of Life"


Nessa terça feira, em horário especial (9 da noite) vai ao ar pela CTV, o penúltimo episódio da temporada: "Priority Of Life".

Pelo fato desse episódio estar sendo um dos mais comentados e mais aguardados até mesmo que a season finale, vamos fazer uma postagem especial sobre ele.

*CONTÉM SPOILERS*

Pra início de conversa, o episódio vem focando no casal preferido dos fãs, JULES e SAM. Os dois personagens ficaram um pouco sem foco nessa temporada, então mais um motivo pros fãs estarem contando as horas. O relacionamento dos dois vai ser descoberto e a volta de Toth colocando a cabeça de Greg na guilhotina. E não para por aí, a vida de Jules está em risco depois de uma explosão, deixando Sam em uma situação complicada, seguir ou não seguir o código de prioridade? Arriscar tudo pra salvar Jules?

E a coisa está tão boa que saíram quatro sinopses sobre o episódio, segue abaixo:

• Parker (Enrico Colantoni) é confrontado com ordens para se demitir. Team One responde a uma chamada de bio-terrorismo em um laboratório - obrigando Sam (David Paetkau) tomar uma decisão que coloca a vida de Jules (Amy Jo Johnson) em risco.

Um laboratório cheio de amostras mortais de antrax é arrombado e reféns são tomados. Enquanto isso, Parker é convidado a se demitir ou enfrentar a suspensão por manter relacionamento de Sam e Jules um segredo.

Dr. Toth confronta Parker com notícias devastadoras; A Equipe UM responde a um arrombamento em um laboratório na cidade.

Parker é confrontado com a notícia devastadora, uma explosão deixa Jules sem saída.

Agora fiquem com o video promocional da CTV:



É pessoal, esse episódio tem tudo pra ser um dos melhores da temporada. Tudo bem que não dá pra confiar muito em sinopse, mas já dá pra ter um gostinho do quem vem por aí. Agora e só esperar. Falta pouco.

4 de dez de 2011

Comentários "Team Player"

Episódio número 16 da 4° temporada de Flashpoint: "Team Player"

*CONTÉM SPOILERS*

E quando a gente acha que não pode ficar pior, fica. Não estou julgando aqui a história do episódio que por sinal foi interessante e o ator que interpretou Charlie, Rossif Sutherland...olhem bem esse nome (nada mais nada menos que filho de Donald Sutherland e meio irmão de "Jack Bauer" Kiefer Sutherland) deu show de interpretação.

Mas o que está sendo julgado é o fato das participações dos personagens principais terem caido. Não vou comentar muito sobre o episódio pois o ponto que chamou a atenção nele foi: 5 minutos se passaram, 10 minutos se passaram, 15, 20 e onde está Jules? Pois é minha gente, quando eu acabo de falar que tivemos pouca participação da Jules nos último episódios o que acontece? Um episódio inteiro sem a nossa 2° negociadora favorita. Sim, Jules não estava no episódio e isso causou polêmica.

Depois que o episódio começou, no twitter e facebook choveram reclamações e duvidas sobre ela não estar. Mas eu acho que isso é um mistério que não vai ser revelado nem tão cedo. Seria jogada da produção pra criar uma certa expectativa pro episódio 17, que é da Jules? Mas que expectativa é essa? Audiência? Para mim não faz sentido nenhum. Sinceramente acho que essa decisão de sair por um episódio não veio da Amy não. Um episódio inteiro sem a Jules e nenhuma explicação dos personagens de onde ela poderia ter ido, um dia de folga, ou uma viajem de emergência? O episódio ainda foi ao ar em uma segunda feira, totalmente fora do normal. Não sei, mas não gostei disso.

E vou ser ainda mais sincera, não senti toda a emoção de Flashpoint que vinha sentindo nos últimos episódios. Falta da Jules? Pode ser, mas senti que alguma coisa estava fora do lugar...

Agora é esperar pelo tão esperado "Priority of Life" pra ver Amy Jo e David dando show.

1 de dez de 2011

Comentários "Blue on Blue"


Episódio número 15 da 4° temporada de Flashpoint: "Blue On Blue"

*CONTÉM SPOILERS*


Nesse episódio tivemos a grande "troublemaker" dessa temporada, Natalie, voltando pra complicar a vida de Spike, do seu irmão Sam e de toda a SRU.

Nat colocou Spike em risco quando seu ex, David volta depois de um tempo na Colombia e querendo uma certa vingança, aproveita que sua ex está envolvida com gênio da informática, para invadir o banco de dados da policia antes que enviassem para serem queimadas.

O episódio novamente foi bem intenso, sim isso é Flashpoint e sim, muito inteligente. A jogada do alarme foi incrível, onde Spike aciona os números de acordo com seu número de distintivo. Inclusive isso acabou gerando alguma polêmica pois o número do distintivo do Spike nas últimas temporadas é diferente do distintivo do episódio. Será que tivemos um erro aí?

De qualquer forma o lance entra Spike e Nat ficou mesmo na amizade. Acho que os produtores pensaram bem sobre ter mais um envolvimento romântico entre os personagens já que temos Jules e Sam pra satisfazer a parte romântica da série.

E por falar em Sam, na minha opinião, foi a cena mais bonita do episódio, quando Sam abraça sua irmã com um instinto protetor dizendo que estava tudo bem.

Mas o ponto é...tivemos nessa temporada dois grandes episódios pro Spike. Tudo bem, mas lembrando que Spike é um personagem coadjuvante. Não que o Spike não seja importante, mas acho que dois episódios pra ele essa temporada é um pouco demais. Lembrando ainda que dois grandes personagens, a Jules e o Sam não tiveram um grande episódio só para eles essa temporada. Pra falar verdade o Sam não ganha um episódio só para ele desde "Behind The Blue Line". E na lista de elenco principal temos Hugh, Amy Jo, David e Enrico. Jules de algum tempo pra cá, mais precisamente depois de "Grounded" ficou bem apagada, Sam então nem se fala. "Blue on Blue " que foi chamado pelo "grande episódio Spike/Sam" não teve praticamente Sam. Até o próprio Ed não vem ganhando destaque, deixando a temporada ser dominada por Greg e Spike que cresceram. Alguns fãs vem reclamando disso, não só com a gente mas com a própria produção.

Mas de qualquer forma, parabéns a produção e elenco. Mais um grande episódio.