17 de nov de 2009

Entrevista: Enrico Colantoni

Matéria com uma entrevista que o ator Enrico Colantoni concedeu a equipe do Calgary Herald, no dia da premiação do Gemini Awards 2009:



Os primeiros esforços de Enrico Colantoni como um ator de televisão canadense, eram por sua própria admissão, não impressionantes.

O nativo de Toronto e agora uma das estrelas de Flashpoint da CTV voltou para casa depois de uma temporada estudando teatro em Nova York em meados dos anos 80.

Ele conseguiu um papel de convidado em Night Heat, uma série policial com orçamento econômico que foi indiscutivelmente um antecessor chave para futuros trabalhos policiais como o atual papel de sucesso de Colantoni.

"Eu acho que o meu nome em Night Heat era Jeff Blocker ou Ron Blocker ou algo assim", diz Colantoni, pelo telefone de Toronto. Jeff ou Ron Blocker era um homem bravo, mas Colantoni diz que ele desempenhou o papel de uma forma menos ameaçadora.

"Eu tinha uns 23 anos", diz ele. "Eu me lembro como eles falavam sobre o personagem:” Oooh, ele é tão perigoso". Eu era tão jovem, eu ficava olhando para a minha marca e o diretor se mantinha bravo comigo, me dizendo que pistoleiros não olhavam para a sua marca. Então cheguei para o meu agente e disse que eu estava ficando muito cansado e não sabia o que fazer. Foi horrível, simplesmente horrível.

No entanto, Colantoni lembra do show, que foi ao ar de 1985 a 1989, como sendo uma "mina de ouro" para os atores de Toronto porque trouxe muito trabalho para a cidade. Na época, não havia muitas opções quando se trata de Canuck TV. Mais de 20 anos depois, Colantoni retornou à sua cidade natal para Flashpoint, uma história de sucesso "made-in-Canadá" que se tornou um hit além do sul da fronteira. É um registro record de 19 indicações ao Geminis hoje a noite, que colocou Colantoni contra a colega de elenco Hugh Dillon.

Com seus altos valores de produção e de prestígio nos EUA, a série Flashpoint foi anunciada como uma pioneira na televisão canadense, parte de uma onda de novos programas que possam não apenas convencer os jovens atores canadenses à não fugir do país na primeira oportunidade. Mas, como Colantoni sabe, a atração de Hollywood será sempre tentadora.

"Eu saí antes mesmo de tentar levar uma facada da indústria canadense", diz Colantoni. "Eu estava tão encantado com a América. Peço desculpas por isso agora, porque 25 anos depois estou com saudades de casa. O que a América sempre terá sobre a indústria canadense é o mercado. Nós sempre queremos ir para a América. Pessoas em todo o mundo querem ir para os Estados Unidos se eles estão em busca disso ".

Dito isto, Colantoni diz que a televisão canadense está ficando cada vez melhor. As empresas e as redes estão colocando mais dinheiro em suas produções, permitindo-lhes competir a nível mundial. Flashpoint é um exemplo disso e permanece fielmente canadense. Apesar de nunca diretamente nomear Toronto como sua locação, a série nunca se esquivou de projetar no flagra uma vibe canadense. Os membros dessa equipe da SWAT no centro do drama ocasionalmente bebem “double-doubles” de Tim Hortons e têm bandeiras canadenses costuradas nas mangas.

Eles também raramente dispararam suas armas. Uma visão curiosa para alguns fãs dos EUA, diz Colantoni. Embora ainda seja um processo policial na veia de CSI, que tem bastante peculiaridades para torná-lo um romance também.

"Alguns amigos meus, que são americanos fiéis, sempre perguntam 'porque você não está atirando? Por que gastar tanto tempo falando?" Diz Colantoni. "Eu digo, 'isso não é como eles fazem as coisas em outras partes do mundo."

Ex–aluno da Universidade de Toronto, Colantoni desistiu de estudar sociologia e psicologia no início e migrou para o teatro. Ele foi para Nova York para estudar na Academia Americana de Artes Dramáticas e, eventualmente, se formou na escola de drama de Yale.

O treinamento valeu a pena. Diferentemente da maioria dos atores que tiveram sucesso na TV, Colantoni tem conseguido evitar ser rotulado. Ele tinha um lugar como convidado em "Nova York Contra o Crime" no início de 1990, interpretando o filho esquizofrênico de Peter Boyle em uma performance memorável tão angustiante que podia tê-lo escalado como principal personagem para o resto de sua carreira. Mas os papéis que se seguiram foram todos muito diferentes uns dos outros. Em 1997, ele foi escalado como um aparentemente suave, fotógrafo no sitcom “Just Shoot Me”. Alguns anos mais tarde, ele fez um estranho mas simpático alienígena do filme “Galaxy Quest”. Em seguida, ele chamou a atenção como o pai linha dura, mas carinhoso de uma particular detetive adolescente em Veronica Mars. Foi o seu desempenho como Keith Mars que fez convenceu os produtores de Flashpoint a chama-lo para a equipe Especial Tática Canadense.

"Eu pensei que eu estaria carregando uma arma como o 'cara mau' desde que saí da faculdade," Colantoni diz com uma gargalhada. "É uma surpresa completa para mim. Mas eu só quero fazê-lo diferente. Mesmo que seja uma escolha estúpida, eu quero fazer uma escolha e eu não quero confiar em mim. Eu não quero ser aquele cara”.

Quanto à Flashpoint, agora em sua terceira temporada, Colantoni admite que os processos da polícia estão estruturados de uma forma que nem sempre permitem que os atores sondem as profundezas de seus personagens em particular. Sua primeira decisão em aceitar o papel do Sargento Greg Parker veio quando seu irmão - um oficial de polícia de Toronto há 30 anos - deu sinal positivo para a autenticidade do scrip.

Entretanto, ele está desfrutando da filmagem em sua cidade natal. Quanto a competir contra o companheiro Hugh Dillon na disputa pelo Gemini, ele diz que não entrou na conversa. Mas ele diz que existe uma concorrência tácita entre os dois.

"É uma grande competição, eu adoro isso." Colantoni diz. "É fraterna. Eu não estou familiarizado com os outros atores que foram indicados, enquanto que se eu ou Hugh ganhar, nós estamos bem."

FONTE: http://www.calgaryherald.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com spams, propagandas, correntes, assuntos fora do contexto da matéria ou do Fansite e conteúdos ofensivos, serão excluídos, assim também como comentários anônimos.