8 de jul de 2011

Ótima reportagem feita por Bill Bux do Canadian Press, sobre a volta de Flashpoint. Contém alguns spoilers, mas nada tão revelador assim, o que chama a atenção são exatamente os últimos parágrafos. Confiram a tradução:
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Um período crítico para “Flashpoint” que entra na sua quarta temporada.

Quando "Flashpoint" retornar para a quarta temporada, sexta-feira (08:00 ET na CTV), as coisas vão ter alcançado um ponto crítico.
Como os fãs se lembrarão da finale cliffhanger da 3 ª temporada, o esquadrão de elite das forças táticas especiais tem um homem a menos, com seu atirador Ed (Hugh Dillon) vítima de um tiroteio surpresa. E o resto do elenco está prestes a ser dissolvido sob a vigilância de um psicólogo militar (Victor Garber) que questiona a coesão da equipe sob a liderança do sargento Gregory Parker (Enrico Colantoni).

Se os personagens estão todos sob a mira, imagine como os produtores se sentem.

"Flashpoint" tem sido uma grande história de sucesso do Canadá, ganhando consistentemente no seu horário e média de 1,65 milhões de telespectadores na última temporada na CTV. Continua a ser a série 'feita em casa' mais assistida no Canadá e está ganhando audiência ano a ano entre os espectadores mais jovens. Ela continua a ter nomeações ao Gemini e recentemente ganhou Writers’s Guild Of Canada Awards com os co-criadores da série Mark Ellis e Stephanie Morgenstern. Mesmo quando um episódio é exibido novamente, pela quarta vez no Canadá, nunca teve menos de 600 mil espectadores.

No entanto, esta história é sobre uma força de elite tática que encontra-se na mira.


Porque é uma co-produção canadense-americana, o sucesso de "Flashpoint" é medida em um nível de elite. Ele carrega o peso extra de ser a porta-bandeira para todas estas produções fora acima da fronteira, tendo aberto a porta para "Rookie Blue" e "Combat Hospital". A popular quarta temporada pode sugerir que acordos internacionais não têm de ter de uma ou duas temporadas maravilhosas.


E isso é muita pressão para os produtores executivos Anne Marie La Traverse e Bill Mustos. Enquanto eles definitivamente tem visto mais que uma abertura para o conteúdo canadense nos horários americanos nos últimos quatro anos, eles reconhecem que o julgamento ainda está fora sobre o sucesso a longo prazo desta aliança da TV Norte TV americana.

"No final do dia, é um mundo cruel lá e é só sobre a audiência", diz La Traverse. "Se você durou uma temporada , você já fez melhor do que um monte de outras pessoas nos Estados Unidos. "Todo sábado de manhã quando sai a audiência, nós prendemos a respiração e pensamos: 'Será que vamos sobreviver através de outra semana?"

A verdade simples é que "Flashpoint" é um sucesso muito maior no Canadá do que é nos Estados Unidos. A CBS trata o drama de uma hora de duração como um jogador da reserva, chamando-o de fora do banco como um preenchimento de Verão, ou como uma solução rápida se uma de séries mid-season falhar.

"Flashpoint", portanto, não recebe a promoção ou publicidade de outros shows da CBS, mas sempre quando é chamado, em um unico único ataque, causa sucesso e fica na base. Quase sempre ganha em seu horário nos EUA.


Mustos, que diz que ele não ganha nada além de todo apoio da CTV, tem aceitado que o show tem um papel diferente na CBS.
"Reconhecemos que somos um jogador diferente na equipe deles, e estamos gratos por ter esta oportunidade incrível de estar nesta plataforma maciça nos EUA". "Com a chegada da Netflix nos Estados Unidos, novos fãs estão descobrindo o show", diz ele. Estes são os espectadores que pode ter perdido episódios no meio da temporada ou nos meses de verão, quando os níveis de telespectadores são menores.”

A produção começa esta semana, o 14° de 18 episódios da 4 ª temporada. Sete vai ao ar neste verão, simultâneamente na CTV e CBS. A CTV marcou os 11° restantes para este Outono nas noites de terça-feira. Quanto à CBS, o jogo de adivinhação anual sobre outra renovação já começou.

A presidente da CBS Enterteinment Nina Tassler sempre investe suas apostas na turnê de verão da imprensa do Television Critics Association , dizendo que o show pode ou não ser renovado. A emissora dos EUA tem até Outubro para fazer uma renovação para uma quinta temporada. CTV já saltou na frente, pedindo mais 18 episódios. Essa ordem pode diminuir dependendo se CBS continua envolvida. Em aproximadamente US $ 2 milhões por episódio - uma pechincha para um drama de uma hora na América, mas uma fortuna na televisão canadense - "Flashpoint" é muito rico para uma rede canadense se manter por conta própria. Felizmente, os produtores têm outras opções.

A série é vendida em todo o mundo. O canal à cabo Americano ION comprou recentemente os direitos dos EUA a episódios mais antigos, que eles vão começar a transmitir este Outono. La Traverse sugere que também pode ser um parceiro potencial de produção se a CBS abandonar. Em qualquer caso, haverá uma quinta temporada, mas 18 episódios poderá diminuir para uns 13, dependendo de financiamento.


Não importa quanto tempo ele dura, os fãs vão estar dizendo adeus a um membro chave do elenco neste verão.

Envolvimentos românticos, exame psicológico e, em um caso, a recuperação de um grave ataque irá forçar alguém da equipe a sair. Um novo recruta, interpretado por Cle Bennett, será apresentado. Outra linha forte de atores canadenses convidados , incluindo Christopher Bolton ("Rent-a-Goalie") na abertura da sexta-feira, vai ter alguma exposição.

"Nós vamos estar gastando mais tempo com as vidas pessoais de nossos personagens nesta temporada", acrescenta La Traverse.

"Eu acho que é o nossa temporada mais forte."

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Fonte: winnipegfreepress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com spams, propagandas, correntes, assuntos fora do contexto da matéria ou do Fansite e conteúdos ofensivos, serão excluídos, assim também como comentários anônimos.