30 de dez de 2011

Amy Jo Johnson em entrevista ao "13th Street"


Com a quarta temporada de Flashpoint sendo toda exibida no Canadá é hora de essa temporada estreiar nos outros países que exibem a série. O australiano "13th Street Universal" publicou essa semana, uma entrevista com uma das estrelas da série, Amy Jo Johnson, para promover a estreia da quarta temporada no canal:

Confiram a tradução:



FLASHPOINT:

Perguntas e respostas com Amy Jo Johnson:





"De seu primeiro papel de destaque como Kimberly Hart, a Ranger Rosa em Mighty Morphin Power Rangers, aos papéis aclamados pela crítica em Felicity e outros, Amy Jo Johnson encontrou sua casa como Jules Callaghan na série canadense, Flashpoint. A série de televisão sobre uma equipe tática especial que resgata reféns, prende gangues, desarma bombas e leva outros casos difíceis, continua em 2012 com a quarta temporada. Amy Jo Johnson conversou com "13th Street" sobre a série e a vida por trás das cenas do drama policial explosivo".

Descreva a série para alguém que nunca tenha visto Flashpoint:

AJJ: É uma série policial que vem a partir da perspectiva de um policial. Flashpoint realmente mostra a humanidade pela qual os oficiais têm que passar, lidando com seu trabalho. Nós não somos apenas policiais ou atiradores. A série realmente vai dentro da experiência humana das pessoas com o uniforme.

O que os telespectadores podem esperar da quarta temporada?

AJJ: No início da terceira temporada parecia que estávamos ficando sem histórias. Quero dizer, existem apenas bastante histórias de refém que você pode fazer. Assim, os escritores e produtores realmente tiveram que se colocar em um grupo de reflexão e trabalhar extra e pesado para a a quarta temporada e para mim essa temporada, como atriz e pessoalmente, tem sido a melhor já escrita e as melhores histórias até o momento. Quando você tem que pensar de maneira diferente, fica melhor. Estou muito orgulhosa do que temos filmado e espero que o público veja isso também.

FLASHPOINT é a série mais longa em que você já ficou desde o início. Porque você acha que ela é? Você ainda está gostando de trabalhar na série?

AJJ: Tem sido uma verdadeira revolução, ela mostra como isso tem sido para mim. O primeiro ano eu estava grávida e encontrei de muitas formas uma nova vida, morando no Canadá... O segundo ano eu tive meu bebê e me senti mais forte por causa disso. O terceiro ano eu meio que me estabeleci um pouco e no ano passado foi realmente incrível, alegre e divertido, então estou realmente ansiosa para a quinta temporada.

O final da terceira temporada de Flashpoint configurou algumas histórias interessantes para a quarta temporada - essas histórias foram trabalhadas?

AJJ: Elas realmente foram, e elas são histórias que correm ao longo da temporada inteira. A maioria das emissoras gostaria de ter uma série policial contida dentro de um episódio para os espectadores que não a acompanham. Mas os fãs querem ver os personagens até o fim. Como ator você quer ter um enredo. Na quarta temporada, eles entraram com mais de histórias de fundo em nossos personagens que, como ator, torna o trabalho mais interessante também. Mas, sim eles realmente trabalham com os suspenses que foram apresentados no final da temporada 3.

O que te atraiu para Flashpoint?

AJJ: Eu não estava no piloto original, mas quando cheguei e entrei, eles me mostraram o original e eu fiquei agradavelmente surpreendida e orgulhosa do trabalho que eu tinha conseguido, porque era tão bem escrito e teve muito coração e muita humanidade nele. Eu sinto que cada episódio é assim. É um dos melhores empregos que já tive. Não só pelo lado criativo, mas pelo lado pessoal, as pessoas com quem eu estou trabalhando se tornaram uma família para mim. Eu sinto que eu estou trabalhando com pessoas muito, muito especiais. Isso só acontece em um número de vezes em sua vida. Este é um daqueles momentos em que eu tenho que saborear o momento, porque eu me sinto muito especial.

Agora, é verdade que você se mudou para Toronto por causa da série?

AJJ: Foi o impulso. Quando a primeira temporada acabou eu pensei em ficar, porque me apaixonei pela cidade e eu tive uma menina e eu acho que é um lugar fantástico para ela. Eu era uma espécie de cigana antes. Eu estava morando em Montreal e não sabia para onde ir depois. Eu acho que eu encontrei minha casa em Toronto.

Você é uma única "não-canadense" que trabalha em tempo integral na série...

AJJ: Eu me mudei para Montreal dois anos antes da audição para a série, foi apenas um tipo de mudança na minha vida. Eu estava morando em Los Angeles por 15 anos antes disso. E então eu me tornei uma cigana. Eu dirigi pelas fronteiras do país e fiz um filme de uma semana em Montreal e eu estava tipo "oh, eu gosto daqui". Eu já tinha começado o processo de passar pelas coisas da imigração somente para me tornar uma residente permanente por mim mesma. Isso ajudou a solidificar a minha situação.

Então você chama a si mesma de canadense agora?

AJJ: Ah e eu sou. Meu marido é, minha filha é. Isso é engraçado... Quando eu deixei Los Angeles e peguei estrada para descobrir quem eu era, todos os meus amigos estavam dizendo "quem deixa Los Angeles e consegue uma série em outro lugar?" (Risos). Quem faz isso? É apenas um tipo de acontecimento. Na época, eu decidi que queria parar de atuar... Estava satisfeita com isso e eu fui embora. Então eu venho para o Canadá e consigo um papel realmente grande.

O papel de uma vida?

AJJ: Sim, é como isso foi (Risos).

Agora vamos falar sobre alguns de seus co-estrelas de Flashpoint. Em vinte cinco palavras ou menos o que você pode-me dizer sobre... Hugh Dillon, que faz o papel de Ed Lane:

AJJ: Ele tem muito coração e ele é um dos meus melhores amigos no mundo. Ele é hilário, uma das pessoas mais engraçadas que eu já conheci.

Enrico Colantoni, que faz o Sargento Greg Parker:

AJJ: A pessoa mais profunda que eu já conheci. Ele é um professor tão grande e é uma bênção estar com ele. Ele é também um dos homens mais doces que eu já conheci.

Michael Cram, que faz o Kevin Wordsworth:

AJJ: Na verdade, estamos fazendo um show juntos. Eu vou tocar violão, ele vai tocar guitarra e cantar. Ele é hilário. Muito neurótico, mas incrivelmente hilário.

David Paetkau, que interpreta Sam Braddock:

AJJ: David se tornou como um irmão para mim. Eu me tornei uma grande amiga de sua esposa, e nossas famílias são grandes amigas. Ele é um vizinho, ele mora apenas dois quarteirões de distância.

Falando sobre David, o final da terceira temporada deu dicas que a relacionamento entre seus dois personagens poderá esquentar de novo. Existe mais vindo na quarta temporada?

AJJ: Eu não quero contar muito sobre o que acontece... Mas a quarta temporada definitivamente dá conta do nosso relacionamento amoroso.

Você gosta de interpretar as cenas românticas?

AJJ: Oh, com certeza, quando você está sempre correndo por aí com armas gritando "Pare, Polícia!" é sempre refrescante pegar um script onde você começa a ter contato com alguém, a ser humano e conversar. É sempre bom como ator. Gostei muito desse enredo.

Depois de interpretar uma policial na TV, você se sentiria confortável fazendo a prisão de cidadãos na vida real?

AJJ: Sem chance, eu definitivamente não. (Risos) Mas David (que interpreta o par romântico e companheiro de Amy na série, Sam) quase fez isso cerca de um ano atrás. Eu juro. Ele saiu de seu apartamento e viu uma velhinha ficando assaltada. E gritou "Pare Polícia" e perseguiu o cara na rua. Acho que ele deixou cair a bolsa, e foi correndo, mas ele se esqueceu completamente quem ele era e ele estava no personagem. Eu não sei se isso iria acontecer comigo.

Você tem tido uma seqüência incrível de trabalhos como atriz, mas é interessante olhar o seu site oficial que fala apenas sobre sua música e arte. Não existe nenhuma menção de sua atuação nele. Por que isso?

AJJ: Eu sei, porque eu tenho essa coisa onde na Internet, eu não quero que ninguém realmente me conheça. Eu me sinto uma pessoa muito privada, então eu coloquei minha música lá. É como um tipo de diário. Eu acho que a atuação vai cuidar dela mesma, da maneira que ela quiser. Eu não me sinto como promovendo a mim mesma como atriz, porque esse é o meu sustento. É uma sensação estranha, mas é como "Aqui está a minha música, essa sou eu".

Sendo uma pessoa privada, é estranho compartilhar parte de si mesma ao mundo através de sua música?

AJJ: Realmente, e você sabe que eu escrevi um romance alguns anos atrás, que era tão pessoal que eu nunca decidi publicá-lo. E então eu estou escrevendo um roteiro agora que eu realmente quero dirigir e é tão pessoal. Eu estou compreendendo que atuar é tão seguro que tudo que você tem que fazer, é ir conseguir um trabalho e eu posso me esconder atrás das palavras de alguém. Quando se trata de minha própria arte e criatividade e do que eu realmente quero mostrar, eu não posso fazer qualquer coisa. Eu sou uma criatura honesta, eu não sei o que o futuro trará com isso. Eu não sei o quanto eu posso dar. Se eu estou indo criar alguma coisa, isso realmente iria ser somente "eu".

Finalmente, alguma pista sobre o que teremos na quinta temporada?

AJJ: Eu gostaria de saber... Eu não tenho idéia. Espero que eu esteja lá, nunca se sabe!

O canal 13th Street Universal exibe Flashpoint todas as terças às 8:30 pm.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com spams, propagandas, correntes, assuntos fora do contexto da matéria ou do Fansite e conteúdos ofensivos, serão excluídos, assim também como comentários anônimos.